Como desenvolver a resiliência infantil

Como desenvolver a resiliência infantil

Por: Marcia Belmiro | Crianças | 24 de dezembro de 2020

A resiliência pode ser entendida como a capacidade de se recuperar de situações de crise e aprender com essas experiências. Essa habilidade é de grande importância para todos – adultos e crianças –, levando em conta que mesmo a pessoa mais afortunada da face da Terra vai, inevitavelmente, sofrer decepções e frustrações, seja a perda de um emprego ou uma nota baixa na escola.

A boa notícia é que a resiliência pode ser desenvolvida por qualquer indivíduo e, quanto mais cedo esse aprendizado tiver início, melhor.

Para algumas pessoas o padrão resiliente parece quase automático. Para outras, o desafio é maior. “Os indivíduos mais rígidos, com uma tendência à manutenção do status quo, podem ter dificuldade em aceitar algo diferente do que foi previsto, sonhado, almejado e às vezes para o qual houve um grande esforço de realização. Por outro lado, isso não precisa ser encarado como um defeito, mas apenas uma característica de estilo individual”, ressalta Marcia Belmiro.

Confira a seguir orientações para ajudar seu filho a desenvolver um comportamento resiliente:

Quando a criança cair da bicicleta e disser que nunca mais vai usá-la, acolha a frustração. Depois, lembre a ela o quanto essa conquista é importante para si, e a encoraje, lembrando de outros desafios que já venceu (ex.: tirou uma nota boa em matemática depois de quase ficar em recuperação).

Coloque-se à disposição para ajudar seu filho no que for preciso, mas deixando o pequeno ser protagonista de seus próprios projetos. Isso aumenta a autoestima da criança, deixando-a mais segura de si.

Acredite na criança e deixe isso claro para ela, na forma de elogios específicos, que demonstrem o progresso do pequeno e o encorajem a atingir o que deseja (ex.: “Lembra que até o início do ano você só sabia tocar uma música no violão? Agora você já aprendeu mais três, tenho certeza de que vai conseguir tirar essa música que quer tanto.”)

Quando seu filho se deparar com uma dificuldade, não se apresse em dar a resposta. Ao contrário, deixe ele chegar sozinho a uma solução. Assim, há um estímulo à criatividade para a resolução de problemas, ferramenta que ajuda muito no desenvolvimento da resiliência.

Resiliência não é deixar de sentir o impacto das dificuldades, mas se levantar após uma queda. Ou seja, é ineficaz dizer ao seu filho “não fica assim, isso não tem importância”. Esse tipo de fala não estimula a resiliência, mas faz a criança acreditar que seus sentimentos não são válidos. Em vez disso, os pais podem respeitar a decepção da criança e, depois, ajudá-la no entendimento de quais foram os aprendizados dessa situação e o que pode fazer de diferente na próxima oportunidade.

Matérias Relacionadas

O mercado atual de oportunidades para um TeenCoach
Somatização: Seus sintomas são reais ou inventados?
Habilidades e competências desenvolvidas no Kids Coaching