Professores não estão preparados para as aulas on-line

Professores não estão preparados para as aulas on-line

Por: Marcia Belmiro | Educação | 26 de agosto de 2020

De acordo com a pesquisa “Sentimento e percepção dos professores brasileiros nos diferentes estágios do Coronavírus no Brasil”, feito pelo Instituto Península com educadores de todo o país, das redes municipais, estaduais e particulares do Ensino Infantil ao Ensino Médio:

83% não se sentem preparados para dar aulas on-line;

88% deles afirmam que nunca tinham dado aula no formato virtual antes da pandemia;

55% não tiveram qualquer suporte ou capacitação durante o isolamento social para ensinar fora do ambiente físico da escola;

75% não receberam nenhum suporte emocional das escolas neste momento.

Especialistas em educação ouvidos pelo Instituto Península acreditam que é possível afirmar que os professores estão também na chamada “linha de frente” na pandemia – não em emergências de hospital, como médicos ou enfermeiros, mas lidando com um dos grupos que ficou mais vulnerável neste momento: o de crianças e adolescentes.


Um encontro consigo mesmo

Diante desse desafio e entendendo que essa vulnerabilidade também atinge os professores – que tiveram de se reinventar em um tempo mínimo –, Marcia Belmiro propõe trazer o professor a um resgate do significado da profissão para si:

Ao trabalharmos com o professor, ajudando-o a trazer ao momento presente seus valores e seu propósito de vida esquecidos depois de anos de uma jornada árdua, esse profissional pode reencontrar suas potencialidades, e a partir daí desenvolver os próprios recursos para se adaptar às necessidades que se apresentam. Quando ajudamos o educador a entender que o cerne do problema não é a falta de conhecimento técnico para lidar com o novo formato de aulas, mas o desconforto que o modelo virtual causa – com a necessidade de se expor em vídeo não só para os alunos, mas para suas famílias, e as emoções e inseguranças que vêm à tona em consequência disso –, ele poderá se empoderar e, mais uma vez, se superar”, analisa.

Você é professor e sente dificuldade em se adaptar ao modelo de aulas virtuais? Saiba mais sobre nossas formações: http://www.institutoinfantojuvenil.com.br/

Fonte:

Após seis semanas de isolamento, professores brasileiros não receberam suporte adequado para ensinar à distância nem suporte emocional”. Disponível em: https://institutopeninsula.org.br/apos-seis-semanas-de-isolamento-professores-brasileiros-nao-receberam-suporte-suficiente-para-ensinar-a-distancia-nem-suporte-emocional-das-escolas/

Matérias Relacionadas

Sete brincadeiras para fazer no carro com seus filhos
Como se tornar um professor inesquecível
Cyberbullying, a nova ameaça virtual