Como motivar os professores, para além do salário?

Como motivar os professores, para além do salário?

Por: Marcia Belmiro | Educação | 15 de julho de 2020

De acordo com a pesquisa Profissão Professor (do Todos pela Educação e Itaú Social, feita pelo Ibope Inteligência em 2018), com 2.160 professores da educação básica de todo o país, 49% deles afirmam que não recomendariam a profissão a outra pessoa.

O que está por trás dessa insatisfação tão grande? E o que é possível fazer para reverter esse quadro?

A primeira resposta que vem à cabeça é: aumentar os salários. No entanto, ao serem questionados sobre como valorizar os docentes no Brasil, “pagar melhor todos os professores” foi apenas a quarta opção. Em ordem, as três primeiras foram: “dar mais oportunidades de qualificação para os professores que já estão dando aula”, “envolver e escutar os professores nos debates públicos e decisões sobre políticas educacionais” e “restaurar a autoridade e o respeito pela figura do professor frente aos estudantes e familiares dos alunos”.

Marcia Belmiro traz um complemento a essas demandas, confira:

  1. Resgatar o sentido, a missão e o propósito do professor;
  2. Dar voz ao educador para que ele pense e construa junto com a direção as políticas pedagógicas da instituição;
  3. Criar um espaço para que o professor possa desenvolver suas próprias habilidades socioemocionais, para que a partir daí tenha condições de auxiliar os alunos nesse processo.

Para habilitar o educador no primeiro ponto apontado por Marcia (“resgatar o sentido, a missão e o propósito do professor”), disponibilizamos abaixo uma técnica exclusiva do Programa de Formação Kids Coaching:

Técnica “Missão e propósito do professor”:

O exercício que segue pode ser aplicado por um KidCoach ao educador, ou ser aplicado pelo próprio educador, numa sessão de autocoaching. Este exercício vai conduzir o professor a um encontro consigo, com seus preceitos, anseios, desejos e sonhos. É possível que alguns sonhos não realizados desabrochem, e sejam novamente acalentados, e quem sabe venham até a se concretizar.

1º passo – Olhar para a situação atual:

Perguntas:

Qual a primeira palavra que vem a sua mente quando você se recorda do dia em que decidiu ser professor? Ou quando pensa no dia em que você pisou pela primeira vez numa sala de aula?

Hoje, qual sua maior satisfação profissional na atividade como professor?

Você vibra quando seus alunos fazem o quê?

Quais os seus principais talentos em sala de aula?

Quais comportamentos você costuma ter com seus alunos que fazem de você um bom professor?

De que conquistas você se orgulha ao longo da sua carreira de professor?

Você se lembra de alguma vez um aluno ou uma mãe/pai ter agradecido a você por ter contribuído na vida deles?

Como você se sente quando fala sobre essas coisas agora?

Pensando e sentindo tudo isso, você escolheria essa profissão de novo?

2º passo – Olhando para o futuro:

Perguntas:

Quais são seus objetivos de vida?

Quais são seus objetivos para este ano letivo?

O que seus alunos precisam ter até o fim do ano para que você considere este um bom ano letivo?

O que você quer fazer hoje para obter mais satisfação e felicidade na sua rotina profissional no futuro?

3º passo:

A partir do que foi dito, é possível construir a missão (um período formado por algumas frases, que abranjam o sentido do que pensa o professor).

Minha missão como professor é: (realizações e conquistas que já teve e quer ter de novo), por meio de (características positivas, talentos e comportamentos que esse professor tem) para obter (seus objetivos profissionais e pessoais).

O professor pode colocar essa missão na tela de descanso do computador, no espelho, ou em qualquer lugar que ele veja sempre, para se empoderar e se lembrar sempre do que é importante para si mesmo.

Ao longo do percurso, é comum que as dificuldades tomem o lugar das expectativas do início da carreira. Mas é possível resgatar o sentido da profissão, se esse for o desejo do professor, e assim tornar seus dias mais significativos, interessantes e gostosos de viver. Esse é o grande ganho que se tem ao conseguir discernir a missão embutida na sua atuação em qualquer âmbito da vida. A definição de propósito traz clareza aos objetivos e mobiliza o educador para a ação. É quando fica totalmente claro o significado de se estar fazendo algo que a força e o ânimo para fazer aumentam. E nessa situação, simples e naturalmente, ele pode seguir em sua própria direção”, avalia Marcia Belmiro.

Fontes:

Pesquisa Profissão Professor. Disponível em: https://www.todospelaeducacao.org.br/_uploads/_posts/23.pdf?750034822

Técnica “Missão e propósito do professor”. Parte integrantes do Programa de Formação Kids Coaching.


 
 

Matérias Relacionadas

Como pais podem ajudar os filhos nos desafios atuais?
Coaching para adolescentes: o que é e como funciona?
Quem pratica bullying é vilão ou vítima?