Como o Covid mudou o mercado de trabalho?

Como o Covid mudou o mercado de trabalho?

Por: Marcia Belmiro | Carreira | 18 de setembro de 2020

Desde março, quando teve início a quarentena decretada por conta do coronavírus, nosso modo de viver mudou em todos os aspectos. Em termos profissionais, a grande notícia é o recorde de desempregados e desocupados no país. Mas também há ensinamentos importantes que a pandemia trouxe, um caminho sem volta de transformações que, ao que tudo indica, vão fazer parte definitivamente do “novo normal”.

Neste momento da sociedade, mais do que nunca a palavra-chave é inovação. Em uma crise sem paralelos na história contemporânea, quem ousou inovar conseguiu se manter mais estável – e, em alguns casos, até decolar.

Confira uma lista com as maiores mudanças e lições que o Covid-19 trouxe para o mercado de trabalho:

1) As empresas e os profissionais que já estavam on-line saíram na frente. Neste momento, as organizações que já tinham seus processos informatizados (como recrutamento e seleção por videochamada, por exemplo) não começaram do zero nem precisaram correr atrás – mas, ao contrário, largaram na frente da concorrência.

2) As companhias com gestão coparticipativa foram mais capazes de sobreviver. Empresas que já estimulavam nos funcionários comportamentos de autorregulação, autoliderança e empreendedorismo corporativo conseguiram lidar melhor com a necessidade do home office durante a pandemia. A gestão do tempo nunca foi tão valorizada quanto agora. Com a troca do controle pela confiança, aumentou a importância do cumprimento de metas em relação ao número de horas trabalhadas, e os profissionais mais alinhados a esses princípios foram ainda mais valorizados no mercado.

3) Quase todas as atividades profissionais podem acontecer a distância – exceto as que dependem diretamente do contato físico, e mesmo assim em alguns casos. No “novo normal”, tornaram-se comuns consultas médicas por teleatendimento, aulas de ginástica virtuais. O Twitter, por exemplo, anunciou em maio que seus funcionários poderiam trabalhar de casa para sempre, caso preferissem.

4) O céu é o limite nas vendas on-line. Durante a pandemia, houve a definitiva consolidação da economia digital, e até pequenas e microempresas descobriram que é possível comercializar seus produtos para outras cidades, estados e até países.

5) Estar perto, apesar de longe fisicamente. Os empresários e líderes descobriram que é possível mostrar que se importam com seus funcionários, mesmo a distância. As companhias aprenderam não só a fazer reuniões de trabalho virtuais, mas também encontros para falar sobre saúde mental, home office com filhos e até happy hours – cada um na sua telinha.

6) Grandes transformações exigem grande flexibilidade. Com as rápidas mudanças de cenário ocorridas neste período, aumentou exponencialmente a importância de profissionais que se adaptam a novas conjunturas, com destaque para aqueles que priorizam a formação continuada e também o desenvolvimento de habilidades não técnicas, como trabalho em equipe e comunicação interpessoal.

Matérias Relacionadas

Cozinhar com os filhos: bom para adultos e crianças
Quais são as principais demandas ao procurar um KidCoach?
Como criar um diálogo verdadeiro com seu adolescente