O que professores podem fazer para seus alunos desenvolverem a Inteligência Emocional?

O que professores podem fazer para seus alunos desenvolverem a Inteligência Emocional?

Por: Marcia Belmiro | Educação | 12 de maio de 2018

*Este artigo é uma continuação do texto “O que é Inteligência emocional e como trabalhá-la na escola”. Clique no link para acessar o conteúdo.

 

Na realidade em que vivemos, muitos professores se encontram esgotados e perdidos no que eles imaginam ser um beco sem saída. Isso porque a escola frequentemente compete com os infinitos atrativos da tecnologia para atrair a atenção dos alunos, além de ter que lidar com os graves problemas de comportamento observados em jovens que se desrespeitam entre si, desrespeitam os professores, não realizam as tarefas e nem permitem que o conteúdo programado seja apresentado pelo professor.

No meio desse turbilhão complexo, faz-se necessária e urgente uma abordagem Coaching dentro das salas de aula, de modo a auxiliar os professores em seu desespero de uma forma efetiva e rápida. Por meio dos princípios do não julgamento e não direcionamento, do desenvolvimento da empatia com a turma e valorização dos relacionamentos interpessoais, além da utilização de técnicas e ferramentas específicas para incentivar os alunos ao autoconhecimento e automotivação, é possível promover uma verdadeira revolução no sistema educacional!

Os professores devem ser capazes de auxiliar as crianças a pensar sobre suas emoções, de modo a canalizá-las e expressá-las de maneira saudável, se tornando capazes de se comunicar com o outro sem agressividade e destrutividade. Desse modo, o jovem aprende a valorizar o que sente e o que deseja, mas sem perder sua capacidade de valorizar também aquilo que as demais pessoas sentem e desejam. Ou seja: não adianta tentar passar pelos problemas que surgem dentro da sala de aula ignorando seus aspectos emocionais, pois quando se ignora o aspecto emocional a criança aprende a reprimir suas emoções em vez de lidar com elas e suas consequências de maneira saudável.

Pesquisas realizadas nos Estados Unidos demonstram que os resultados de investimentos realizados no âmbito do desenvolvimento das habilidades sociais são absurdamente tangíveis, tanto no que diz respeito à satisfação pessoal quanto financeira. Há uma notória diminuição na taxa de criminalidade e aumento da felicidade em locais onde existem programas de educação e auxílio socioemocional voltados para o público jovem.

Trabalhar esse tipo de habilidade traz inúmeros benefícios tanto para a vida pessoal como para a sociedade humana em geral. Ao mostrar isso para os estudantes e ajudá-los a resolver seus incômodos de maneira assertiva, os professores podem mostrar uma maneira de estar no mundo sem tantos percalços. O ambiente escolar, sendo o primeiro treino da vida social real, se apresenta como um local muito propício para despertar as crianças para sua própria humanidade e para o que pode ser feito de melhor em termos práticos com o objetivo de atingir um grau mais elevado de harmonia e bem-estar social.

Matérias Relacionadas

Cinco modos de ser uma referência para os adolescentes
Cyberbullying, a nova ameaça virtual
Cinco motivos para brincar com os filhos + três bônus