Cozinhar com os filhos: bom para adultos e crianças

Cozinhar com os filhos: bom para adultos e crianças

Por: Marcia Belmiro | Crianças | 01 de setembro de 2020

Com a vida corrida que levamos atualmente, é natural que deixemos de cozinhar em casa, em nome da praticidade. No entanto, manter esse hábito pode ser bom para toda a família. E mais: cozinhar com os filhos.

Não estamos falando aqui de ter a presença dos pequenos na cozinha todos os dias, no preparo de todas as refeições – até porque seria desestimulante para todos. Mas uma boa opção pode ser planejar uma tarde de mestre-cuca em família (num fim de semana, talvez), para fazerem juntos uma receita gostosa. Não é preciso ser uma preparação complexa, estilo “masterchef”, pode ser uma comidinha caseira mesmo. O importante é fazer desse momento uma oportunidade de tempo em família.

Confira alguns benefícios de cozinhar com os filhos:

  1. Ensina na prática sobre trabalho em equipe e sobre a importância da atuação de todos no produto final.
  2. Sabe a história de que a cozinha é o coração da casa? Cozinhar juntos cria memórias afetivas, ao compartilhar receitas e histórias de família.
  3. Ensinar os filhos (meninos e meninas) a cozinhar, assim como ensiná-los a fazer qualquer atividade doméstica, é útil e importante para a futura independência deles, quando crescerem.
  4. Envolver as crianças na escolha, compra e preparo dos alimentos é uma boa forma de melhorar a relação dos pequenos com a comida (ajuda, por exemplo, na seletividade alimentar).
  5. Ao cozinhar, nem seu filho nem você estarão distraídos com telas (celulares, tablets ou videogames), e podem aproveitar esse momento para conversar ou só curtir a presença um do outro.
  6. É uma boa oportunidade para ensinar às crianças sobre como evitar o desperdício de alimentos e água, e também sobre separação de lixo para compostagem e reciclagem.

Mesmo a criança pequena pode participar com funções simples, como pegar os ingredientes, lavar os legumes, espalhar molho de tomate sobre a massa de pizza, montar a salada na travessa. Aos poucos ela pode aprender a usar facas sem ponta, bater ovos e outras coisas mais complexas.

As crianças têm seu tempo, então pode ser que aquela sopa que normalmente fica pronta em meia hora leve o dobro do tempo. Provavelmente também haverá mais bagunça e sujeira – não podemos esquecer que as crianças ainda estão desenvolvendo a coordenação motora (e não veem nada de mais em fazer guerra de farinha…). Por isso é ideal que o momento de cozinhar em família não seja naqueles dias de pressa, ou que a cozinha está brilhando de tão limpa e um ovo quebrado no chão vai te irritar. Para ser positiva, qualquer atividade em família tem que ser prazerosa para adultos e crianças.

Hoje existem utensílios que tornam mais prática e segura a atuação das crianças na cozinha, como descascadores (mais fáceis de usar que facas), panelas de pressão e fritadeiras a ar elétricas (que dispensam o uso do fogão), e torres de aprendizagem (uma espécie de banco-escada com altura regulável e barras de madeira nas laterais, que permite à criança ficar na altura da bancada da cozinha), indicadas desde que o bebê consiga ficar de pé sem apoio.

Matérias Relacionadas

A importância do esporte para o adolescente
Perda dos pais na adolescência: como lidar?
Como se tornar um professor inesquecível