É possível equilibrar vida pessoal e profissional?

É possível equilibrar vida pessoal e profissional?

Por: Marcia Belmiro | Carreira | 25 de maio de 2020

Ouve-se muito frases do tipo “não se pode ter tudo”, e quando alguém sente o desejo de alcançar satisfação pessoal e profissional ao mesmo tempo, a tão falada qualidade de vida, muitas vezes acredita que está querendo demais, que isso é ambição, que é errado. Mas nada impede ninguém de conquistar o que almeja e continuar sendo humilde. O que liga uma coisa à outra são somente as crenças limitantes que são construídas ao longo da vida. Essas crenças forçam a mente humana a optar pelo mínimo, e assim vai-se vivendo sem plenitude em nada.

Essas restrições mentais restringem o ser, o ter e o fazer dos indivíduos. Quando isso acontece, as pessoas não conseguem ser quem têm o direito de ser, não fazem seu melhor, e como consequência não obtêm o que poderiam se tivessem usado todo o potencial que têm em si.


Expectativas

No trabalho, é comum que as pessoas pensem que estão atuando de acordo com as expectativas da liderança ou do cliente, sem nunca ter perguntado isso diretamente. Atuam na vida familiar também atendendo a expectativas que deduzem que o cônjuge ou os filhos têm. Às vezes, quando existe esse tipo de diálogo, podem descobrir que as expectativas externas são bem diferentes do que pensavam.

Reconhecimento

É muito comum que as pessoas busquem elogios, como se só com a valorização externa pudessem se sentir amados, queridos, especiais. Muitas vezes, nessa busca incessante por reconhecimento, vão além de suas possibilidades, até fisicamente. Mas não é a aprovação externa que vai suprir alguém internamente, mas sim o reconhecimento do próprio valor.


Clareza dos objetivos

Quando se tem clareza dos próprios desejos e necessidade, tanto no ambiente familiar quanto no profissional, fica mais fácil atender as expectativas externas e também internas. Só se consegue ser feliz no trabalho e na vida pessoal ao mesmo tempo ou só se consegue ser infeliz no trabalho e na vida pessoal ao mesmo tempo? Na verdade, não existe a opção de ser feliz em um ambiente e infeliz no outro. O ser humano só é capaz de ser feliz ou infeliz por inteiro.

As pessoas têm papéis diferentes em cada ambiente, assim como objetivos, comportamentos, roupas e até mesmo relações diferentes. Mas é só uma pessoa, que transita pelos dois ambientes, que percebe, pensa, sente, age e reage do mesmo jeito. Os estímulos são diferentes, mas a forma de receber é a mesma. Ex.: Se alguém tem uma percepção de que o mundo é perigoso e por isso fica sempre à espreita do que pode acontecer, essa percepção vai acompanhá-lo por onde for. Se, por outro lado, essa pessoa tem um sentimento constante de alegria, esse sentimento vai estar presente em todo lugar, mesmo nas circunstâncias desafiadoras. Ou seja, quando se está plenamente em cada ambiente, a reação é igual mesmo em situações diferentes.


Informações alarmantes

A OMS traz dados de que a depressão hoje ocupa o quarto lugar entre as doenças mais prevalentes no planeta, e em 2030 estará em segundo lugar, atrás apenas do câncer. De acordo com uma pesquisa da International Stress Management Association, o Brasil é o segundo país com maior índice de estresse relacionado ao trabalho.

Claro que há causas exógenas, sociais, que justificam isso. Mas como provavelmente o mundo não vai ficar mais fácil, cabe a cada um mudar a própria visão sobre ele. Só é possível interferir nas expectativas (internas e externas), na forma como se busca reconhecimento e a clareza dos próprios objetivos (pessoais e profissionais).


Algumas orientações para encontrar saídas dentro de si:

Aprenda a perseverar. Já se sabe que é preciso comer saudavelmente, fazer exercícios físicos regularmente e dormir oito horas por dia. Acontece que os hábitos que as pessoas carregam são muito arraigados, e geralmente estão baseados em suas crenças limitantes. Então quando alguém sente que é preciso alterar hábitos, deve saber que isso leva um certo tempo para se consolidar.

Seja grato. A gratidão é importante, para além do “muito obrigado” cordial. Seja grato mesmo quando a situação não está fácil. Quando isso acontece, o indivíduo é capaz de aprender uma lição mesmo na dificuldade, e com isso rever comportamentos, fazer mudanças e crescer, em vez de se revoltar com o que está acontecendo.

Perdoe. Isso não significa voltar às boas com quem fez mal a você, mas eliminar isso da sua vida e guardar só o que ficou de positivo dessa situação. O rancor e a amargura fazem mal ao sistema imunológico, ao coração e ao corpo como um todo.

Um minuto de respiração. Dez vezes, todos os dias, inspire mentalizando bondade e expire mentalizando gratidão. Toda vez que você faz isso, tudo muda a sua volta, porque muda por dentro, muda sua forma de perceber, sentir e pensar.

Esteja 100% presente no presente. Permita-se absorver o que as pessoas em volta têm para dar a você. Esteja pleno e inteiro nos momentos de lazer e também nos de trabalho. Estar íntegro em si mesmo traz um grau de reconhecimento muito maior de quem se é.

Faça o que você ama. Quando se trabalha naquilo que está ligado aos seus anseios e virtudes, o dinheiro virá como consequência quase inevitável. Quando se está em flow – fazendo o que gosta e o que domina, com harmonia e atenção plena, se sentindo desafiado –, o feedback é praticamente imediato, a pessoa se sente plena, inteira.

Fontes:

Relatório mundial da saúde – Saúde mental: nova concepção, nova esperança”. Disponível em: https://www.who.int/whr/2001/en/whr01_po.pdf

Brasil é o segundo país com maior índice de estresse relacionado ao trabalho no mundo, diz pesquisa”. Disponível em: https://radios.ebc.com.br/tarde-nacional-amazonia/2019/06/brasil-e-o-segundo-pais-com-maior-indice-de-estresse-relacionado-ao

Matérias Relacionadas

Como lidar com o filho contestador
Coronavírus: Medos e ansiedades 3
Como lidar com a criança que quer tudo o que vê?