Como incentivar o interesse pela arte nas crianças?

Como incentivar o interesse pela arte nas crianças?

Por: Marcia Belmiro | Crianças | 04 de março de 2020

Com o objetivo de proporcionar uma formação integral a seus filhos, muitos pais desejam estimular o interesse dos pequenos pelas artes, mas não sabem como fazê-lo. Parece que as crianças de hoje, tão inteligentes e espertas, não conseguem mais se concentrar durante algumas horas em uma aula de piano ou de canto, como era comum na infância das gerações anteriores.

Talvez o cerne da questão esteja aí: as crianças de hoje não se comportam mais como antes porque elas são muito diferentes de seus pais ou avós. Mas isso não significa que não se interessem por arte, pelo contrário. Os meninos e meninas de hoje, em vez de suportar calados horas que pareciam infinitas de um professor rígido falando sobre conceitos teóricos, desejam aprender sim, mas por meio do prazer, lições que fazem sentido para eles, partindo de sua perspectiva de mundo. A imposição, de maneira geral, só gera resistência.

Confira aqui cinco dicas para estimular o interesse das crianças pela arte:

  1. Deixe a criança livre para escolher se quer dançar, cantar, pintar… ou nada disso. Crianças têm uma criatividade natural, só precisam descobrir seu tempo e seu caminho próprios, com leveza e sem pressões. Insira a arte na rotina, na forma de idas a museus e peças de teatro, tenha livros infantis em casa que a criança possa acessar facilmente, isso vai estimulá-la.
  2. A autonomia é fundamental no aprendizado artístico. Evite dar desenhos prontos para seu filho pintar, e não o critique por ter feito um elefante roxo ou uma casa voadora, por exemplo. Em vez disso, estimule a criação livre em todas as idades, e provavelmente você vai se surpreender com os resultados.
  3. Propicie momentos de ócio. Em meio a mil atividades – especialmente as intelectuais – não há espaço para deixar fluir a energia criativa do pequeno.
  4. Não alimente a expectativa da perfeição, até porque estamos falando de crianças, ainda em desenvolvimento cognitivo, físico, psíquico e psicomotor. A experiência inicial será determinante para que a expressão artística continue acompanhando os pequenos na vida adulta.
  5. Valorize o que a criança produz, estimulando seus pequenos avanços, mas sem cair na armadilha de superdimensionar os resultados, buscando enxergar a mais nova virtuose da pintura ou da literatura. Na infância, importa mais o caminho do que o ponto de chegada. Ao se expressar artisticamente, a criança expande o autoconhecimento, construindo sua expressão própria, sua forma única de ser e estar no mundo, com autenticidade, espírito crítico e afetividade.
                      

Matérias Relacionadas

Destinos incríveis para as férias
Crianças e animais de estimação
Quando devo mudar de profissão?