Criança mentirosa: como saber se seu filho tem compulsão por mentir

Criança mentirosa: como saber se seu filho tem compulsão por mentir

Por: Marcia Belmiro | Crianças | 19 de outubro de 2017

Seu filho conta várias histórias que você percebe que não condizem com aquilo que ele realmente viveu? Você se sente como um detetive tentando investigar as coisas que seu filho diz para arrancar a verdade dele? O que faz com que as crianças mintam? Como lidar com essas situações?

Crianças não distinguem claramente o real e o fantástico

É importante destacar logo de início que uma criança mentirosa não necessariamente apresenta compulsão por mentir. Até mais ou menos os 6 anos de idade, partes específicas do cérebro ligadas principalmente à adequação com a realidade ainda não se encontram plenamente desenvolvidas, desta forma é perfeitamente normal que a criança não saiba diferenciar de maneira óbvia aquilo que se apresenta no mundo daquilo que ela própria imaginou.

No entanto é preciso estar atento aos seus filhos para saber se este é realmente o caso ou se o problema é mais persistente, ou seja, se as mentiras estão perdurando ao longo do tempo e se tornando mais elaboradas e complexas. Nesse caso, é preciso enfrentar esses problemas com amorosidade e auxiliar seu filho a compreender as questões éticas e morais que perpassam a existência humana, assim como entender o quanto as mentiras nos afastam uns dos outros e do que há de melhor em nós.

O desenvolvimento de uma criança mentirosa

Todo comportamento humano é aprendido a partir do convívio social e, por isso, é importante estar sempre atento ao exemplo que está sendo oferecido para as crianças (veja o artigo sobre Egocentrismo Infantil, em que abordamos mais amplamente essa questão). Uma vez que o ser humano é essencialmente um ser social, a infância é a etapa da vida em que a pessoa se encontra mais atenta e aberta ao aprendizado, absorvendo todo o conhecimento e os maneirismos que lhe são apresentados.

Assim, é importante que pais, professores e cuidadores assumam sua responsabilidade frente às suas atitudes e falas no que diz respeito ao amadurecimento da criança. Isso implica em participar ativamente junto com a criança dos seus descobrimentos do mundo, para que ela possa entender a diferença entre o que é certo e o que é errado por meio de um diálogo verdadeiro e horizontal.

Meu filho tem compulsão por mentir: o que eu faço?

Caso você perceba que as mentiras que seu filho conta são de alguma forma premeditadas para prejudicar alguém ou obter algum tipo de vantagem sobre os outros em determinadas situações, é necessário voltar sua atenção para isso. As mentiras maldosas são as mais perigosas, precisam de muito cuidado e não podem ser ignoradas, mas resolvidas e superadas com o devido apoio familiar.

A criança precisa entender que seus atos trazem consequências reais no mundo, que podem não apenas se voltar contra a criança, mas prejudicar outras pessoas. Uma boa forma de manejar uma situação de mentira pode ser ajudar seu filho a compreender o que ela causou negativamente no mundo ao seu redor e o que ele pode fazer para reverter essa situação.

Chamar a criança de mentirosa e impor um castigo que não está diretamente relacionado com a situação ocorrida — como uma semana sem acessar à internet por ter mentido para a professora e pegado na escola um objeto que não lhe pertence — não funciona. Isso porque, agindo desta forma, reforça-se uma imagem negativa da criança sobre si mesma e pode inclusive provocar a reincidência desse tipo de comportamento.

Pais que conseguem manter a calma, por sua vez, auxiliam a criança a perceber seu erro e entender porque esse tipo de atitude é negativo. Conversar com seu filho para que ele mesmo possa chegar à conclusão de que outras pessoas foram lesadas nessa mentira e como ele pode tentar se retratar a respeito disso gera senso de comprometimento e clareza real de consequência dos próprios atos.

Caso se verifiquem uma continuidade desse comportamento, os pais devem buscar apoio profissional, que pode ser tanto psicológico, como pedagógico ou mesmo no Coaching Infantil que tem se mostrado muito eficaz, segundo relatos das famílias atendidas. Por mais difícil que pareça contornar essas situações, os profissionais qualificados podem oferecer aquela luz no fim do túnel que os pais tanto procuram para auxiliar as crianças. O profissional KidCoach é treinado em metodologias e técnicas bem estruturadas capazes de fornecer o auxílio necessário para as famílias conseguirem superar problemáticas como essa.

Imagem: marcduf / iStock / Getty Images Plus

Matérias Relacionadas

Como o KidCoach pode ajudar crianças com dificuldade para dormir?
Como o Kids Coaching vê os limites do professor, a doutrinação ideológica e a importância da relação de parceria entre educador e aluno
A vida real como inspiração