Filhos de pais separados: como a psicologia pode ajudar

Filhos de pais separados: como a psicologia pode ajudar

Por: Marcia Belmiro | Filhos | 18 de outubro de 2017

A separação conjugal invariavelmente apresenta uma mudança na estrutura familiar que afeta todos os membros da família. Ainda que em muitos casos o divórcio traga aspectos positivos para o convívio, principalmente quando os casais se encontram em relações muito conturbadas, é preciso se atentar à forma como tal separação impacta os filhos.

Segundo pesquisas na área da Psicologia, os problemas advindos da separação dos pais incluem depressão, baixo rendimento acadêmico e introspecção demasiada. Embora não seja um consenso absoluto, há autores, como Hetherington & Stanley-Hagan, que levantam a hipótese de que crianças mais novas encontrariam mais dificuldades para lidar com a mudança na rotina.

Ainda segundo esses autores, as crianças mais novas também estariam mais propensas a se culpar pelo divórcio dos pais por ainda não terem desenvolvido mais nitidamente a linha que separa a fantasia da realidade. Nos filhos pequenos de pais separados, é bastante frequente encontrarmos existência de fantasias e desejos de reunir a família, bem como sentimentos de perda e tristeza.

Filhos de pais separados reagem sempre de forma negativa?

Pesquisas realizadas com filhos de pais separados mostram que a percepção deles sobre o divórcio está majoritariamente ligada a aspectos negativos do processo, embora fatores positivos também sejam mencionados. Um estudo realizado em 1989 sugere que os filhos reagem de maneiras muito diferentes à separação dos pais, a depender de cada situação particular e da forma como se estabelecem as relações parentais após a saída de um deles de casa.

Desta forma, os especialistas observaram que as maiores dificuldades dos jovens nesse contexto estão relacionadas à pouca estabilidade na rotina de eventos cotidianos, além das mudanças drásticas nos relacionamentos familiares. No contexto do Brasil, as principais diferenças relacionais relatadas estão na redução do contato com o pai, afastamento da família paterna e perda de laços com amigos.

Como ajudar meus filhos a lidar com a separação matrimonial?

Pais que se mantêm atentos a seus filhos ao longo de todo o processo de separação são capazes de captar tanto os sinais evidentes de sofrimento como os sinais mais sutis de que seus filhos — de qualquer idade — demonstram. Esta atenção é essencial para que os pais possam estar aptos a oferecer ajuda.

É evidente que o impacto psicológico no casal ao se separar também é muito grande, mas faz-se necessário que nenhum membro da família seja negligenciado ao longo do caminho de criação de uma nova rotina pós separação.

Estar atento à criança não significa sufoca-la com uma vigilância incessante, muito menos cair na clássica tentativa de “compensação” dos filhos por meio de presentes ou flexibilização de limites. Esta atenção deve sempre estar voltada para a abertura de um diálogo horizontalizado para que os jovens se sintam livres para se expressar e encontrem apoio para trabalhar as novas problemáticas advindas da transição na estrutura familiar, incluindo a oferta de ajuda profissional.

Nesses casos, a Psicologia Infantil possui diversos recursos para trabalhar com os jovens de maneira mais aprofundada e contínua um possível trauma que se estabeleça por conta das dificuldades da separação. Além disso, os profissionais indicam alguns caminhos para facilitar a transição familiar que sempre passam pela sinceridade de diálogo com todos os membros da família. Encontrar com o ex-cônjuge regras comuns para lidar com as crianças, observar a manutenção de rotina similar em ambas as casas novas e manter uma relação cordial e respeitosa entre pares, também constituem fatores que facilitam muito para as crianças.

O Coaching também tem se mostrado eficaz no auxílio às questões ligadas ao divórcio. Temos relatos de atendimentos tanto de pais quanto de crianças por coaches que utilizam o método Kids Coaching com resultados positivos. Uma abordagem coaching pode ser muito produtiva para que os pais encontrem novas perspectivas pós separação, coloquem em prática novos hábitos e atinjam lugares de felicidade e satisfação pessoal para além do antigo casamento.

A metodologia também é benéfica para os filhos, possibilitando que eles possam lidar de maneira mais consciente com as novas problemáticas apresentadas pelo mundo e construir seu senso de auto responsabilidade e auto-gestão e consigam encontrar um caminho saudável de expressão dos seus pensamentos e sentimentos.

*Ana Carolina Villares Barral Villas Boas & Alessandra Turini Bolsoni-Silva, 2009

Imagem: weerapatkiatdumrong / iStock / Getty Images Plus

Matérias Relacionadas

Alienação parental, um grande risco para as crianças
Quando o KidCoach é procurado
Seu filho se sente inseguro para o vestibular?