Mudança de mindset

Mudança de mindset

Por: Marcia Belmiro | Carreira | 08 de setembro de 2020

No dia 19 de agosto, Marcia Belmiro fez uma live com o tema “Mudança de mindset: Como alterar sua trajetória”. Confira a seguir os melhores momentos desse bate-papo que ela teve com sua audiência no Zoom:

Se estamos andando com um mapa ou GPS que não funciona, ficamos perdidos. O mesmo acontece com o mapa mental. Imagina se o seu mindset estiver antigo, incompleto, faltando partes: você não consegue ter clareza do seu propósito, o que é importante para você na vida, qual a direção a tomar. E isso pode trazer consequências sérias, como ansiedade, depressão, pânico. Muita gente não entende por que as coisas não funcionam em sua vida, mas é porque o mapa está antigo. A pessoa está olhando para o mundo de hoje com padrões lá de trás, às vezes até da infância.

O que aconteceria se o seu mapa mental estivesse completo, ou até ampliado, em 3D? Você poderia ganhar o mundo. Aí vem a questão: “Como vou saber se meu mapa está completo ou rasgado?” A resposta é: Olhe para os resultados da sua vida – todos, não estou falando só dinheiro.


Interpretando o mundo

Eu acredito que todos nós temos sempre muitos ajustes a fazer em nosso mapa mental. A palavra paradigma vem do grego paradeigma, que significa modelo, padrão ou molde. Ou seja, o nosso paradigma define modo como vemos, pensamos, entendemos e interpretamos o mundo, e a partir do qual agimos. É o nosso guia mental, um esquema que temos para entender e viver a realidade, e muitas vezes esse paradigma é inconsciente.

Modelo mental, paradigma, crença, percepção, hábito e mudança: Como essas palavras estão interligadas? Todos nós temos diversas percepções do mundo, e elas têm a ver com a maneira como somos hoje, com a maneira como fomos criados. Isso tudo vai determinando em que acreditamos. Essas crenças nos levam à construção do mindset (sinônimos de modelo mental e de paradigma). O mindset, por sua vez, também interfere nas crenças, gerando nossos hábitos de vida (dormir, comer, formas de se relacionar).


Um trabalho árduo e recompensador

A gente fica preso nesse mundinho, rodando nesse círculo. A pergunta é: “Como mudar isso?” Mudar mindset, crenças e hábitos não é muito fácil. É um processo, um trabalho que pode ser árduo e demorado. Vejo que muitas das pessoas que formo e que formei ao longo dos anos compreendem que existe uma nova possibilidade de modelo de relacionamento com sua família, em seu trabalho, e especialmente com suas crianças – mas não fazem a virada de chave, e aí não obtêm a mudança que desejam. Para levar à frente esse processo de autodesenvolvimento, muitas vezes precisamos de ajuda.

O cérebro dá preferência ao que não demanda gasto de energia. Muitas informações entram no automático, se não fosse assim terminaríamos todos os dias exaustos. Por outro lado, todas as mudanças são árduas, cansativas, extenuantes, e por esse motivo é difícil mudar de mindset.

Caminhos neuronais construídos por meio de sinapses entre os neurônios se consolidam pela repetição, se fortalecem. Ou seja, para consolidar o novo padrão que se deseja, é preciso repeti-lo exaustivamente, até que se transforme num novo paradigma. Os novos aprendizados – que acontecem por meio da prática, da ação – geram neuroplasticidade e novos caminhos neuronais, que precisarão ser fortalecidos até se transformarem em hábitos (mindset alterado).


O caminho da prática

E não adianta só ler e estudar, forçando o cognitivo, é preciso ir para a prática para modificar a mente. Nosso cérebro é extremamente plástico, mas desde que nos permitamos vivenciar, testar na prática coisas novas. Assim, criam-se caminhos neuronais novos – que não se estabelecem como hábito de imediato, mas com o tempo isso pode acontecer. Não preciso continuar sendo quem fui até agora.

Tem uma frase do filósofo Epicteto que é assim: “É impossível para alguém aprender aquilo que acha que já sabe.” E outra frase, esta de Viktor Frankl, sobrevivente do Holocausto: “Quando não podemos mais mudar uma situação, somos desafiados a mudar a nós mesmos.”

Na minha experiência, percebo que a verdadeira dificuldade das pessoas não é aceitar as novas ideias, mas escapar das antigas.

Mas algumas atitudes que podem ajudar na mudança de mindset, confira:

– Desejar a mudança, ter senso de urgência;

– Ter compromisso constante com a própria evolução pessoal;

– Ser flexível diante do novo, do diferente (“aprender a aprender”);

– Agir, entrar na prática, experimentar;

– Fazer as mudanças acontecerem de fato;

– Tomar as decisões e “botar o bloco na rua”;

– Perguntar-se: “E por que não?”;

– Manter a mente aberta para novas informações, aprender a esquecer os velhos parâmetros;

– Utilizar novos conhecimentos e desafiar a si mesmo;

– Não julgar, achando que você está mais certo que os outros;

– Celebrar e brindar conquistas com base em novas ações;

– Ir aonde não está habituado, fazer e falar coisas de maneira diferente, conhecer gente diferente do seu ciclo e tirar proveito dessa diversidade.

Matérias Relacionadas

Saiba mais sobre as inteligências múltiplas
Retrospectiva Transformo Gerações
Recolocação profissional: como se planejar